Brasil e Japão discutem parceria para desenvolvimento da indústria naval

publicado em 30 de janeiro de 2015

INNAVAL
“No Brasil, estamos em uma curva de aprendizagem visando alcançar o nível da produtividade da indústria naval japonesa. Temos um longo caminho a percorrer que deve ser trilhado em parceria com o Japão”, disse hoje o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, ao embaixador japonês no Brasil, Kunio Umeda, em audiência. “O ressurgimento da indústria naval brasileira conta com esta parceria não apenas porque as empresas japonesas estão presentes em nosso país de longa data, mas também por reconhecer a competência do Japão no setor naval”, acrescentou o ministro.

Atualmente, Brasil e Japão mantêm colaboração para capacitar quarenta profissionais brasileiros com técnicos navais japoneses. Além disso, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e o Ministério de Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo japonês estabeleceram entendimento para troca de informações sobre políticas e regulamentações relacionadas à tecnologia naval de plataformas, navios e sistemas de transporte marítimo. (mais…)

Abimaq critica fiscalização da política conteúdo local

publicado em 29 de janeiro de 2015

Carlos-Pastoriza-ABIMAQ
O presidente da Associação Brasileira da Indústrias de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza, criticou duramente a política de conteúdo local adotada pelo governo. Segundo o executivo, as regras de conteúdo local são falhas e não conseguem fiscalizar uma empresa que não queira cumprir o conteúdo estabelecido.

- É uma política esquizofrênica. Ao mesmo tempo em que exige conteúdo local nas regras de concessão, o governo dá isenção para importações – afirmou, acrescentando que o impacto disso, somado ao cenário ruim da economia brasileira, levou os fabricantes de equipamentos e máquinas a demitirem mais de 13 mil pessoas no ano passado, segundo o executivo.

Apesar da promessa de correção feita pelo governo, Pastoriza criticou ainda o pequeno impacto gerado pelos investimentos da Petrobras na cadeia de equipamentos e máquinas, aproveitando para elogiar a forma com que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) lida com a política.

“Ao todo, tivemos R$ 4 bilhões em vendas de óleo e gás em 2014, sendo que só a Petrobras investiu mais de R$ 100 bilhões no setor. É uma quantidade irrisória de conteúdo local. No sistema de financiamento do Bndes, ao contrário, temos um funcionamento sério da política, exigindo 60% de participação no peso e no preço dos produtos”.

(mais…)

Exportação de bens de capital cresce 7,4%

publicado em 29 de janeiro de 2015

GM em Mogi das Cruzes (SP)
Vendas externas da indústria de bens de capital mecânicos somaram US$ 13,4 bilhões no ano passado. Importações totalizaram US$ 28,7 bilhões, uma queda de 12% sobre 2013.

As exportações brasileiras de bens de capital mecânicos somaram US$ 13,4 bilhões no ano passado, um aumento de 7,4% sobre 2013, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (28) pela Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). As vendas externas responderam por 45% do faturamento desta indústria em 2014, acima da média histórica de 32%, segundo a entidade.

Em dezembro isoladamente, os embarques de máquinas e equipamentos renderam US$ 1,153 bilhão, uma queda de 13,7% em relação ao mesmo mês de 2013, mas um crescimento de 16% em comparação com novembro de 2014.

Entre os segmentos exportadores, de acordo com a Abimaq, o destaque no ano passado foi o de bens para infraestrutura e indústria de base, cujas vendas externas cresceram 20,6% sobre 2013. Outra área que avançou acima da média nas exportações foi a de máquinas para as indústrias de petróleo e de energias renováveis. No último caso, o aumento foi de 53,5%, mas a participação da atividade no desempenho global foi menor.

(mais…)

Fluxo cambial registra saldo positivo de US$ 662 milhões

publicado em 28 de janeiro de 2015

dolar_0
O saldo de entrada e saída de dólares do país (fluxo cambial) registra saldo positivo de US$ 662 milhões este ano. Levando-se em conta apenas a semana de 19 a 23 de janeiro, o resultado ficou positivo em US$ 756 milhões. Os dados foram divulgados hoje (28) pelo Banco Central (BC).

O saldo positivo na semana ocorreu por causa do segmento financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações), que ficou no azul em US$ 794 milhões.

No segmento comercial (operações de câmbio relacionadas a exportações e importações), o resultado foi negativo em US$ 38 milhões.

Na próxima semana, o BC divulga o resultado fechado do fluxo cambial em janeiro. O fluxo encerrou 2014 negativo em US$ 9,287 bilhões.

Produção e emprego caem e indústria reduz intenção de investimentos

publicado em 28 de janeiro de 2015

producao-industrial-------------
Pesquisa da CNI mostra que a utilização da capacidade instalada recuou para 68% em dezembro, a menor para o mês desde 2011. As condições financeiras das empresas pioraram no quarto trimestre do ano passado

A indústria brasileira encerrou 2014 com queda na produção e no emprego e aumento na ociosidade. O índice de evolução da produção ficou em 38,3 pontos e o de número de empregados em 44,2 pontos em dezembro, informa a Sondagem Industrial divulgada nesta terça-feira (27), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os dois indicadores variam de zero a cem pontos. Abaixo de 50, indicam queda na produção e no emprego. De acordo com a pesquisa, ambos os índices de dezembro de 2014 são os menores desde janeiro de 2010, quando começou a série histórica.

A utilização média da capacidade instalada ficou em 68% em dezembro, o menor percentual registrado para o mês desde 2011. “De positivo, os resultados apurados em dezembro mostram ajuste dos estoques, que ficaram próximos do nível planejado”, observa a CNI. O indicador de evolução de estoques efetivos em relação ao planejado ficou em 50,5 pontos, muito próximo da linha divisória dos 50 pontos.
(mais…)

Mercado de moda do Japão é tema de encontro na sede da Abit

publicado em 28 de janeiro de 2015

Abit
O mercado de vestuário japonês é o terceiro maior do mundo, com consumo de mais de USD 89 bilhões e importações da ordem de USD 31,7 bilhões. A abertura para marcas internacionais é uma das principais características do país, que tem poucas barreiras, tanto tarifárias como técnicas, às importações de vestuário.

O interesse natural por outras culturas e marcas internacionais também é uma facilidade para quem deseja conquistar os compradores da Terra do Sol Nascente. Trendt, Karin Feller, Cynthia Hayashi e Gralias são as marcas participantes da incubadora de talentos BtoBe que já vendem seus produtos em solo nipônico, com o apoio do Texbrasil (Programa de Internacionalização da Indústria da Moda Brasileira, desenvolvido pela Abit em parceria com a Apex-Brasil).

Tendo em vista a importância do mercado japonês, a Apex-Brasil realizou uma missão prospectiva com o intuito de mapear principalmente o perfil dos consumidores, hábitos de consumo, canais de distribuição e cenário atual de varejo no mercado de moda japonês.

A apresentação dos resultados dessa missão será realizada no próximo dia 10 de fevereiro, às 9h30, na sede da Abit, exclusivamente para as marcas que participam dos projetos apoiados pela Apex-Brasil. Aproveite esta oportunidade para conhecer mais sobre o mercado japonês e suas principais características.

(mais…)

Diretoria da Câmara Árabe é reeleita

publicado em 27 de janeiro de 2015

A
A diretoria da Câmara de Comércio Árabe Brasileira foi reeleita para um segundo mandato de dois anos em reunião ordinária do Conselho Superior de Administração realizada nesta segunda-feira (26) na sede da entidade, em São Paulo. A chapa foi acolhida por aclamação dos conselheiros.

“Em nome da diretoria, agradeço o reconhecimento pelo trabalho realizado e a nossa recondução por mais um período de dois anos à frente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira”, disse aos presentes o presidente reeleito da instituição, Marcelo Sallum.

Depois de dar posse aos eleitos, o presidente do Conselho, Walid Yazigi, declarou à ANBA que o ambiente na entidade é harmônico, e ressaltou o trabalho feito pela diretoria atual. “O desempenho da diretoria é maravilhoso”, destacou. “Nós nos preocupamos muito com as exportações de produtos brasileiros ao mundo árabe, apesar de não nos descuidarmos das importações. E temos tido sucesso ao promover as exportações, tanto é que os países árabes são o quarto mercado do Brasil e importam um volume quase igual ao da Argentina, que é nossa vizinha”, acrescentou.

(mais…)

Governo quer avançar nas negociações do acordo Mercosul-União Europeia

publicado em 27 de janeiro de 2015

MER
Em audiência com o embaixador da Bélgica no Brasil, Josef Smets, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, afirmou que a posição do governo brasileiro é de avançar nas negociações do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia. “Conseguimos evoluir no Mercosul, com convergência entre os países-membros, e estamos prontos para avançar com a apresentação de uma oferta para concluir as negociações. Hoje, esta é uma posição de governo no Brasil”, disse o ministro ao lembrar que a presidenta Dilma Rousseff já se manifestou favorável às tratativas entre os dois blocos comerciais. “Aguardamos também uma oferta da União Europeia para prosseguir. Fechar este acordo irá fortalecer o Mercosul”, acrescentou Armando Monteiro.

O embaixador belga se dispõe a levar esta mensagem do ministro aos colegas representantes europeus e manifestou interesse na ampliação das relações comerciais e de investimentos com o Brasil. Smets elencou quatro setores como prioritários no intercâmbio bilateral: portos e transportes, químico-farmacêutico, agrícola-alimentar e pesquisa e desenvolvimento. Na primeira quinzena de março, será realizada a visita do secretário de Estado de Comércio Exterior da Bélgica, Pieter De Crem. Na agenda da visita, serão realizados encontros entre empresários dos dois países.

(mais…)

​Porto de Santos registra segundo maior movimento da história

publicado em 26 de janeiro de 2015

porto_santos_navios
​O Porto de Santos movimentou, no ano passado, 111,1 milhões de toneladas de cargas. Esse volume é o segundo maior da história do complexo portuário e ficou abaixo somente do apurado em 2013 (114 milhões de toneladas), considerado um ano atípico na curva de movimentação.

Esse resultado foi determinado pelo recorde obtido na movimentação do mês de dezembro (nove milhões de toneladas), que ficou 6,2% acima do mesmo período do ano anterior (8,4 milhões de toneladas). As exportações tiveram um crescimento, no mês, de 5,9%, totalizando seis milhões de toneladas, enquanto as importações aumentaram 6,9%, somando 2,9 milhões de toneladas.

O presidente da Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo), Angelino Caputo, explica que a movimentação de cargas em 2014 foi afetada por uma combinação de fatores decorrentes de aspectos climáticos, preços das commodities agrícolas e conjuntura econômica internacional desfavorável.

(mais…)

Balança comercial: quarta semana de janeiro registra déficit de US$ 868 milhões

publicado em 26 de janeiro de 2015

BALANÇA
A quarta semana de janeiro, com cinco dias úteis (19 a 25), registrou déficit US$ 868 milhões. Foram exportados US$ 3,042 bilhões, com média diária de US$ 608,4 milhões, que está 10,9% abaixo da média de US$ 683,2 milhões, acumulada até a terceira semana do mês. Neste comparativo, houve queda na exportação de produtos básicos (-31%), por conta de recuos, principalmente, de petróleo em bruto, milho em grão, farelo de soja, carne de frango e carne bovina. Também caíram as vendas de produtos semimanufaturados (-16,5%), com declínio em açúcar em bruto, celulose, semimanufaturados de ferro e aço, ferro fundido, e ouro em formas semimanufaturadas. Já as vendas de bens manufaturados tiveram crescimento de 22,1%, com acréscimos em óxidos e hidróxidos de alumínio, tubos de ferro fundido, autopeças, suco de laranja congelado e não congelado, motores para veículos e partes, aviões, máquinas e aparelhos para terraplanagem, medicamentos, e tubos flexíveis de ferro ou aço.

Na semana, as importações foram de US$ 3,910 bilhões, com resultado médio diário de US$ 782 milhões. Na comparação com a média até a terceira semana do mês (US$ 816,1 milhões), houve retração de 4,2% explicada, principalmente, pela queda nos gastos com veículos automóveis e partes, químicos orgânicos e inorgânicos, plásticos e obras, siderúrgicos, instrumentos de ótica e precisão, aeronaves e peças, e produtos diversos das indústrias químicas.

Com essas transações, houve déficit na balança comercial da semana de US$ 868 milhões (média diária negativa de US$ 173,6 milhões). No período, a corrente de comércio somou US$ 6,952 bilhões, com desempenho diário de US$ 1,390 bilhão.

(mais…)

  • Anuncie Aqui

Page 1 of 37412345...102030...Last »